"A partir da humilde receptividade ao carinho de todos, cresço e me torno o maior possível homem, por fim, me nivelo aos mesmos carinhosos, por sermos grandes iguais” (Fabio Bandeira)

quarta-feira, 17 de abril de 2013

SINDACS na luta pela garantia dos direitos dos ACSs

Sindicato articula para garantir o direito ao convênio médico gratuito



Assunto: Convênio Médico(AMIL) 

No incio deste ano, a FUABC modificou o contrato com a operadora do plano de convênio médico oferecido aos ACSs e demais funcionários, com a alteração, os trabalhadores passaram a ser onerados pelo uso do convênio que antes era gratuito ( plano básico) para os empregados.

Devido as inúmeras reclamações dos ACS,de SBC e Santo André, a respeito das novas regras do convênio (AMIL antigo Medial), nosso sindicato (SINDACS) através da sua Diretoria, teve uma reunião no dia 05/04 as 10h na Central de Convênios para tratar sobre esse assunto específico, presente na reunião, a Diretora de RH da Central de Convênios, Caroline, o Vice Presidente do SINDACS, Valter Domingues e a Secretária de Finanças do SINDACS, Elaine Coli.

 Na oportunidade, os diretores do SINDACS pontuaram as dificuldades dos ACSs em arcar com a coparticipação, propondo novas formas para firmar um acordo favorável a todos. As ideias foram bem aceitas pela Diretora de RH, que assumiu um compromisso com o Sindicato, e pediu ate o dia 20/04/13 para dar uma resposta definitiva e apresentar soluções para esse impasse.

     Pedimos a todos que acompanhe nossos informativos.

O SINDACS vem trabalhando incansavelmente, nas negociações em São Bernardo do Campo, Santo André, Mauá, Diadema, São Caetano do Sul, e demais municípios da região, na busca de melhor representar os ACS e avançar nas conquistas dos trabalhadores, qualquer duvida entre em contato com o Sindicato.

VEM COM AGENTE... Filie-se ao SINDACS.

Telefone: (11) 25644594
acsfabiobandeira.blogspot.com


 A Diretoria.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

SINDACS na luta por novas conquistas e qualidade de trabalho


No ultimo dia 3 de Abril, o presidente do SINDACS, Rodrigo Rodrigues, junto do Presidente do SINPSI, sindicato dos psicólogos do Estado de São Paulo, Rogério Giannini, Foram recebidos pelo secretario da saúde de Santo André, Dr. Homero Nepomuceno. O encontro teve como principal objetivo, criar não só um canal de dialogo entre as entidades sindicais e a atual Administração como também definir as negociações das demandas dos Acs e dos Psicólogos.

O SINDACS pontuou a falta de participação efetiva dos trabalhadores na construção do planejamento de trabalho, a necessidade de formação continuada e se colocou a disposição para mudar essa situação. Tendo em vista os inúmeros anseios da categoria que necessitam de ações e resoluções de curto e médio prazo, propomos o estabelecimento de mesas de negociação e participação dos Agentes comunitários de saúde através do SINDACS Em duas instâncias: A primeira uma negociação conjunta do SINDACS com a secretaria da Saúde, Governo e Administração, com objetivo principal de criar formas efetivas de valorização e remuneração adequadas dos ACS e desburocratizar o atual sistema que tem dificultado o avanço das conquistas da categoria.   Em segundo, Junto a secretaria de saúde, criar políticas de trabalho, tais como condições e relações de trabalho, ou seja, as Reais “ATRIBUIÇÕES”, direitos e deves dos ACS, e principalmente acabar com  os desvios de função, o excesso  de  famílias por micro Areia etc.

Isso é o começo da luta, pois ela e longa e árdua em busca da nossa valorização.
Participe das reuniões e Assembleias do SINDACS.
 FILIE-SE, NÃO ESPERE ACONTECER “VEM COM AGENTE” NESSA LUTA.

Santo André, 10 de Abril de 32013
                                  

A DIREÇÃO.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Ataque aos sindicatos e aos direitos dos trabalhadores


"Assistimos uma campanha contra a existência dos sindicatos", afirma dirigente
Ataque sem precedentes ao sindicalismo nas Américas
Artur Henrique - Foto: Roberto Parizotti






Não e só na Europa que o Estado de Bem-Estar social, os sindicatos e os direitos dos trabalhadores vêm sendo atacados. Em recente viagem por vários países das Américas pudemos ver de perto a difícil situação dos sindicatos progressistas e democráticos, atacados sistematicamente por governos de direita e empresas.
Nos EUA, em diversos estados governados pela direita, ou no Canadá, que tem um governo conservador, assistimos uma campanha contra a existência dos sindicatos. A mudança que vem sendo proposta na legislação sindical daqueles países tem como tema: “O Direito ao Trabalho”.
À primeira vista, para nós brasileiros, ler essa frase pode nos fazer acreditar que se trata de uma campanha para fortalecer a luta dos trabalhadores (as). Mas se trata na verdade da mais bem orquestrada campanha já realizada contra a existência dos sindicatos. E com o apoio institucional de governos, e com o uso de ferramentas de marketing e publicidade. Ou seja, uma campanha aberta, nada velada.
A campanha tem como objetivo reforçar o individualismo dos trabalhadores e atacar o papel dos sindicatos e das negociações coletivas. O tal “direito ao trabalho” quer dizer: você tem direito a trabalhar sem a “interferência” de um sindicato; você tem o direito de trabalhar quanto tempo você quiser, sem precisar cumprir uma jornada máxima; você tem o direito de “trabalhar” durante suas férias sem ser pago por isso; você tem o “direito” de trabalhar logo depois de ter um (a) filho (a), se esta for a “sua vontade”, e por aí vai. Ou seja, a mensagem é de que o sindicato atrapalha, não devia existir. A negociação coletiva e os direitos dos trabalhadores deveriam ser decididos por você, individualmente. “Nós” não precisamos “deles”, dos sindicatos, vamos acabar com “eles”. Em se tratando de uma nação em que a legislação trabalhista é totalmente precária – lá não existe, por exemplo, licença-maternidade –, isso configura um escândalo, no mínimo.

sexta-feira, 15 de março de 2013

O QUE É A GRANDE MOBILIZAÇÃO DA SAÚDE?


SAIBA COMO PARTICIPAR DA GRANDE MOBILIZAÇÃO




O QUE É A GRANDE MOBILIZAÇÃO DA SAÚDE?
A proposta da Grande Mobilização da Saúde é realizar uma grande ação unificada pela internet, ou seja, na data estabelecida (07 de abril de 2013) os profissionais da saúde acessarão sites das Secretarias de Saúde de seus municípios, estado e do Ministério da Saúde para manifestar-se sobre questões que envolva melhores condições de trabalho. Na referida data também acessarão o Twitter, Facebook, Blog’s, YouTube etc., ligados as referidas secretarias e procederam da forma indicada.


QUAIS OS OBJETIVOS DELA?
Manifestar-nos mais diversos recursos interativos as necessidades laborativas das categorias que compõem a SAÚDE. Certos de que ao melhorar a condição de trabalho desses profissionais, inevitavelmente projetam-se qualitativamente melhores condições dos serviços da saúde. A busca por melhores condições de trabalha está intimamente ligada melhoria na qualidade dos serviços públicos de saúde, prestados a maioria da população brasileira, que depende de tais serviços.


QUEM PODE PARTICIPAR?
Tantos os profissionais da saúde, irrestritivamente, como toda a sociedade. A população precisa ser ouvida. A participação dela é fundamental nessa GRANDE MOBILIZAÇÃO.


QUANDO IRÁ ACONTECER?
A GRANDE MOBILIZAÇÃO DA SAÚDE está agendada para ocorrer no dia 07 de abril de 2013 (próximo mês).


QUAIS AS INSTITUIÇÕES QUE TEM APOIADO A GRANDE MOBILIZAÇÃO DA SAÚDE?
Sindicatos dos profissionais agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias, dos auxiliares e técnicos de enfermagem, de enfermeiros etc.


NECESSIDADES (PREVIAS) DA MOBILIZAÇÃO
Mobilizar a categoria para divulgar o evento o mais rápido possível. Carda curtida, cada compartilhamento, envio de e-mail, nota etc., voltados à divulgação do evento é fundamental nesse momento.

Juntos, Somos Mais Fortes!

ONDE IREMOS NOS MANIFESTAR:
Nos sites, blogs, Twitter etc, das prefeitura municipais estaduais (onde o profissional é domiciliado) e do Ministério da Saúde
Ferramentas do Ministério da Saúde
Site do Ministério da Saúde

No Facebook
Do Ministério da Saúde

No Twitter
Do Ministério da Saúde
@minsaude @InstitucionalMS @minsaude  @InstitucionalMS @dengue_MS

Twitter oficial da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa.@SGEP_MS

Do Ministro da Saúde
@padilhando

YouTube do Ministro da Saúde
ink � t m � �?� in-bottom:.0001pt;text-align: justify;line-height:13.5pt'> 
YouTube do Ministro da Saúde
0 p � � �P� 0� stify;line-height:13.5pt'>YouTube do Ministro da Saúde

terça-feira, 12 de março de 2013

SINDACS-SP Um sindicato que tem história de luta pela categoria


Na última terça-feira (19/2), estivemos conversando com o diretor executivo do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde da Região Metropolitana de São Paulo – SINDACS-SP, Fabio Bandeira, que é Secretário Geral da referida instituição. Na ocasião foi esclarecido qual o propósito da GRANDE MOBILIZAÇÃO NACIONAL DA SAÚDE e qual a metodologia a ser utilizada na ação.

No Brasil, nunca houve uma ação de tamanha amplitude e com os recursos sugeridos para o evento. A utilização da internet, tendo por ponto de partida a articulação por meio das mídias sociais já faz história, quanto ao quesito mobilização pela internet.

O Secretário Geral do SINDACS-SP, comentou sobre a possibilidade de enviar uma circular às unidades cobertas pelo sindicato, informando aos agentes de saúde e a todos quanto interessar, sobre o grande evento. A proposta sugerida pelo infante defensor dos direitos da categoria, indubitavelmente, abre precedente sugestivo a todas as demais bases de articulação do movimento.

Hoje os sindicatos da Bahia, Paraíba, Rio Grande do Sul, Alagoas, Pernambuco entre outros, receberam formalmente informações sobre o movimento.  

Samuel Camelo - Coordenador da Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

GRANDE MOBILIZAÇÃO NACIONAL DA SAÚDE



Esse evento interessa a todos, não apenas os profissionais da SAÚDE. No dia 7 de abril, estaremos visitando site, blog, Twitter, Facebook etc., ligados as Secretarias de Saúde do país (tanto na esfera municipal quanto estadual e Ministério da Saúde) para manifestar o nosso descontentamento com a SAÚDE pública. Não podemos ficar indiferentes com a atual situação que, vai desde a falta de medicamentos ao desvio de recursos públicos.

Os profissionais da saúde estarão manifestando sua indignação, também, pela precariedade laborativa, vínculos precários (no caso de mais de 40% dos agentes de saúde ,em todos o Brasil), desvio do incentivo repassado aos municípios pelo Ministério da Saúde, não aprovação do PISO NACIONAL etc. Os profissionais da enfermagem (auxiliares e técnicos de enfermagem e enfermeiros) se posicionarão principalmente pelas 30 horas de trabalho.